ECOEFICIÊNCIA DA AGROPECUÁRIA GOIANA COM ANÁLISE ENVOLTÓRIA DE DADOS E FUNÇÕES DISTÂNCIA DIRECIONAIS

Autores

  • Juliano Vieira Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
  • Carlos Rosano-Peña Universidade de Brasília
  • Karim Marini Thomé Universidade de Brasília
  • Caeverton de Oliveira Camelo Universidade de Brasília

Resumo

O presente artigo estimou a ecoeficiência da agropecuária goiana utilizando o método da Análise Envoltória de Dados combinado
com Funções Distância Direcionais. Para isso, utilizaram-se os dados do Censo Agropecuário de 2006 dos 246 municípios de
Goiás, referentes a oito variáveis: quatro inputs, três outputs desejáveis e um output indesejável. Os resultados permitiram mapear
e classificar os municípios em quatro categorias: i)ecoeficientes; ii) baixa ecoineficiência; iii) média ecoineficiência e iv) alta
ecoineficiência. Foram considerados ecoeficientes 68 municípios e entre estes se destacaram Alto Paraíso de Goiás e Aparecida
do Rio Doce que aparecem como referência para a metade dos municípios analisados. O município de pior desempenho foi
Quirinópolis. O score de ecoineficiência geral de Goiás foi de 0,77, o que indica que a economia de recursos pode chegar aos
R$ 1.290.264.669,94 com mão de obra, capital e outros insumos e de 194.047 ha de terras. Concomitantemente é possível elevar
a receita em R$ 2.835.872.090,34, aumentar as áreas preservadas em 1.534.833 ha e reduzir as áreas degradadas em 20.470 ha.
Assim, esses resultados reforçam a hipótese de que o aparente antagonismo entre os objetivos econômicos e ambientais não impede
a formulação de políticas condizentes com a melhora da sustentabilidade econômica ambiental.

Biografia do Autor

Juliano Vieira, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Bacharel em Relações Internacionais, Mestre em Agronegócios (Universidade de Brasília). Adido Agrícola Brasileiro na África do Sul

Carlos Rosano-Peña, Universidade de Brasília

Mestre e Doutor em Economia pela Universidade Russa da Amizade dos Povos. Professor da Universidade de Brasília

Karim Marini Thomé, Universidade de Brasília

Administrador e Agrônomo, Doutor em Administração. Professor da Universidde de Brasília e pesquisador da Stockholm School of Economics.

Caeverton de Oliveira Camelo, Universidade de Brasília

Bacharel em Gestão de Agronegócios e Mestre em Agronegócios pela Universidade de Brasília.

Downloads

Publicado

2016-07-22

Como Citar

VIEIRA, J.; ROSANO-PEÑA, C.; THOMÉ, K. M.; CAMELO, C. de O. ECOEFICIÊNCIA DA AGROPECUÁRIA GOIANA COM ANÁLISE ENVOLTÓRIA DE DADOS E FUNÇÕES DISTÂNCIA DIRECIONAIS. Organizações Rurais & Agroindustriais, [S. l.], v. 18, n. 2, 2016. Disponível em: http://revista.dae.ufla.br/index.php/ora/article/view/944. Acesso em: 14 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos