ESTOQUES DE COMMODITIES: ANÁLISE DO VALOR SOB A ÓTICA DA TEORIA DO CUSTO CORRENTE

  • Anderson Leo Sabatin
  • Alessandra Vasconcelos Gallon
  • Aloísio Grunow
  • Francisco Carlos Fernandes
Palavras-chave: teoria do custo corrente, economia ou deseconomia de custo, commodities

Resumo

Devido à volatilidade dos preços de commodities, a aplicação da teoria do custo corrente na avaliação de estoques é imprescindível para prover informações de controle e avaliação de desempenho das cooperativas agropecuárias. Nesse sentido, com a realização deste trabalho, objetivou-se apurar as economias ou as deseconomias de custo no estoque de três commodities (soja, trigo e milho) de uma cooperativa agropecuária do estado do Paraná. Realizou-se uma pesquisa descritiva e quantitativa, em um estudo de caso demonstrando o uso de cotações de mercado como uma alternativa para a avaliação de estoques em situações nas quais ocorra disponibilidade de informações sobre preços correntes de commodities agrícolas. Na avaliação de commodities, os resultados da pesquisa evidenciam diferenças entre os valores dos estoques apurados pelo custo histórico, custo histórico corrigido, custo corrente e custo corrente corrigido. Quando se utiliza o custo histórico, não há economia ou deseconomia de custo; a custo histórico corrigido, há uma pequena economia de custo; a custo corrente e a custo corrente corrigido, há uma considerável economia de custo, o que ressalta a relevância da avaliação sob a ótica da teoria do custo corrente. A aplicação da teoria do custo corrente na avaliação de ativos em que haja disponibilidade de informações de mercado torna-se indispensável à obtenção de resultados satisfatórios, pois aumenta sensivelmente a utilidade das informações fornecidas.
Publicado
06-04-2011
Seção
Artigos