NOVAS RELAÇÕES ENTRE AGRICULTORES FAMILIARES E CONSUMIDORES: PERSPECTIVAS RECENTES NO BRASIL E NA FRANÇA

  • Thaise Costa Guzzatti UFLA
  • Carlos Alberto Cioce Sampaio
  • Valério Alecio Turnes

Resumo

Discute-se, neste artigo, o surgimento de novas estratégias e o resgate de velhas práticas, no que diz respeito à comercialização da produção agropecuária de agricultores familiares e busca-se ainda evidenciar a contribuição de tais práticas para o desenvolvimento de territórios rurais. Para fazer esta análise, recorreu-se à pesquisa bibliográfica, abordando conteúdos referentes à noção dos “circuitos curtos de comercialização de alimentos†(CCCA), aspectos teóricos e como esses vêm sendo desenvolvidos na França e no Brasil. Da mesma forma, referencia-se a noção de desenvolvimento e ancoragem territorial. Como resultado, os autores chegam à conclusão de que o conceito apresentado por Decoox e Prévost (2010), para caracterizar os CCCA - venda direta realizada do produtor ao consumidor e também pela venda indireta, na condição de que haja apenas um único intermediário, deve ser observado com atenção. Uma experiência de CCCA pode realmente ser considerada uma estratégia de desenvolvimento territorial, quando fundamentada na noção de ancoragem territorial, conforme apresentado por Pecqueur (2006b), aspecto não contemplado no conceito proposto por Decoox e Prévost (2010). Tanto o caso brasileiro como o francês, dão indicativos do potencial dos CCCA, como estratégia dinamizadora para o estabelecimento de relações comerciais e de parcerias mais justas entre agricultores e consumidores, além da possibilidade de contribuírem para o desenvolvimento territorial.
Publicado
08-10-2014
Como Citar
GUZZATTI, T.; SAMPAIO, C. A.; TURNES, V. NOVAS RELAÇÕES ENTRE AGRICULTORES FAMILIARES E CONSUMIDORES: PERSPECTIVAS RECENTES NO BRASIL E NA FRANÇA. Organizações Rurais & Agroindustriais, v. 16, n. 3, 8 out. 2014.
Seção
Artigos