CAPITAL SOCIAL E COOPERAÇÃO NA AGRICULTURA FAMILIAR: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE OS ESTADOS DE MATO GROSSO DO SUL E SANTA CATARINA

  • Gercina Gonçalves Silva
  • Thelma Luchese Cheung
  • Olivier François Vilpoux
  • Fabricia Teixeira Sanches

Resumo

A organização dos agricultores familiares pelas ações cooperativas é uma alternativa para alcance de competitividade. Na cooperação se pressupõe a união das competências individuais, em prol de um objetivo comum ao grupo, sendo, dessa forma, possível superar comportamentos individualistas. Dado que o capital social é definido como a habilidade dos indivíduos em garantir benefícios, por meio de associação em redes de relações sociais, objetivou-se neste trabalho analisar a importância do capital social na implantação de relações cooperativas entre os agricultores familiares dos estados de Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. Utilizou-se da pesquisa de campo com aplicação de questionário para 50 agricultores familiares de cada um dos estados. Verificaram-se interações sociais em níveis diferentes nos dois estados. Em Santa Catarina constatou-se um maior desenvolvimento nesse sentido, em relação ao estado de Mato Grosso do Sul, onde se verificou baixo nível de capital social, pelo baixo percentual de participação em organizações, cooperação, confiança e reciprocidade observadas.
Publicado
27-08-2014