AS INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS COMO ESTRATÉGIA MERCADOLÓGICA NO MERCADO DE VINHOS DO DISTRITO FEDERAL

  • Rogério Fabrício Glass
  • Antônio Maria Gomes de Castro
Palavras-chave: indicações geográficas, estratégia mercadológica, mercado do vinho, segmentação e posicionamento de mercado

Resumo

Este artigo tem o objetivo de analisar, em termos de estratégia mercadológica, as indicações geográficas (IGs) como diferencial competitivo no mercado de vinhos. O artigo se baseia em uma pesquisa cujo grupo-alvo foi formado por consumidores de vinho do Distrito Federal com alto grau de envolvimento com este produto. Esta pesquisa teve caráter exploratório-descritivo e foram aplicados questionários estruturados auto-administrados. Sua base conceitual refere-se às estratégias mercadológicas, principalmente em relação aos conceitos de segmentação e posicionamento de mercado e ao comportamento do consumidor. Foram analisadas as percepções do grupo pesquisado sobre vários fatores mercadológicos que têm influência no consumo do vinho, em especial as indicações geográficas. Observou-se que as IGs são um fator de diferenciação neste mercado e também uma característica relevante dos vinhos, de acordo com os consumidores pesquisados. Em sua maioria, esses consumidores estariam dispostos a pagar mais por vinhos que possuíssem uma IG. Por fim, concluiu-se, considerando-se o nicho de mercado analisado neste estudo, que as IGs são um fator de diferenciação. Portanto, produtores, vinícolas e suas respectivas regiões que construírem um posicionamento de mercado baseado nas indicações geográficas e em consumidores com alto grau de envolvimento com o produto vinho como mercado-alvo podem obter resultados comerciais positivos.
Publicado
06-04-2011
Seção
Artigos