A CERTIFICAÇÃO ORGÂNICA COMO FATOR ESTRATÉGICO NA GOVERNANÇA DAS TRANSAÇÕES NO MERCADO DE ALIMENTOS

Aldara da Silva César, Mário Otávio Batalha, Márcio Lopes Pimenta

Resumo


O consumidor de alimentos, de maneira geral, apresenta-se mais preocupado em adquirir um alimento saudável, que não imponha riscos à saúde humana, sendo que essas preferências têm relação direta com a forma que os agentes econômicos se organizam dentro do setor de alimentos. Assim, a participação do sistema de produção orgânica vem crescendo consideravelmente no mercado de alimentos por se tratarem de produtos mais saudáveis que contribuem positivamente para o meio ambiente. No entanto, essas características não são observadas diretamente pelo consumidor, o que torna a certificação um mecanismo essencial no processo de transação e na conquista da confiança de diversos mercados. Diante disso, esse artigo aponta como o processo de certificação interfere na reestruturação dessa cadeia produtiva. Pode-se dizer que a certificação representa um gargalo produtivo, uma vez que os custos de conversão do sistema convencional para o sistema orgânico e de certificação dificultam a entrada no setor, principalmente para os pequenos produtores. Ainda assim, algumas limitações têm sido compensadas pelo melhor posicionamento desse produto no mercado tendo em vista que parte dos consumidores se encontra disposta a pagar um sobre-preço pelo mesmo.

Palavras-chave


certificação; custos de transação; produtos orgânicos; agricultura orgânica

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

 

Organizações Rurais & Agroindustriais - Revista Eletrônica de Administração da UFLA

ISSN: 2238-6890 (edição on-line)


Universidade Federal de Lavras - UFLA - Departamento de Administração e Economia
Campus Universitário - Cx. Postal 37 - CEP 37200-000
Lavras - MG - Tel.: 35 3829 1441
Comentários e sugestões: revistadae@dae.ufla.br

Copyright 2011 - Todos os Direitos Reservados