AVALIAÇÃO FINANCEIRA, DE RISCOS E DE CUSTOS DE TRANSAÇÃO ENVOLVIDOS NA INTERNALIZAÇÃO DA PRODUÇÃO DE RAÇÃO NA SUINOCULTURA

Autores

  • Marco Aurelio Marques Ferreira Universidade Federal de Viçosa
  • Oscar Neto de Almeida Bispo Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
  • Doraliza Auxiliadora Abranches Monteiro Universidade Federal de Viçosa

Palavras-chave:

Investimento, agronegócios, risco, custos de transação, suinocultura

Resumo

Utilizando a avaliação de viabilidade financeira, associada às técnicas de análise de risco e de custos de transação, este estudo investigou os benefícios e a atratividade da internalização da fabricação de ração na suinocultura, na região da Zona da Mata mineira. Os dados referem-se ao primeiro semestre de 2007 e foram baseados em coeficientes técnicos reais, que usaram como benchmark fazendas da região de estudo. No cenário determinístico, a internalizacão apresentou viabilidade. Entretanto, à luz da teoria de riscos, a viabilidade foi questionada, pois a internalização que gera benefícios rentáveis traz consigo a incorporação de riscos, que antes eram do produtor de ração e não do suinocultor. Foram observados, também, assimetria de informação e o comportamento estratégico e oportunista dos agentes de mercado na suinocultura. Mas, ainda que existam riscos, os possíveis custos gerados pelos ativos específicos podem ser diluídos através do horizonte de tempo do projeto, visto que as transações são recorrentes. Desse modo, a decisão entre comprar ou produzir não se limita apenas à relação direta entre custos de produção, mas, sobretudo, entre os riscos e os custos de transação envolvidos.

Downloads

Publicado

2013-10-24

Como Citar

FERREIRA, M. A. M.; BISPO, O. N. de A.; MONTEIRO, D. A. A. AVALIAÇÃO FINANCEIRA, DE RISCOS E DE CUSTOS DE TRANSAÇÃO ENVOLVIDOS NA INTERNALIZAÇÃO DA PRODUÇÃO DE RAÇÃO NA SUINOCULTURA. Organizações Rurais & Agroindustriais, [S. l.], v. 15, n. 2, 2013. Disponível em: http://revista.dae.ufla.br/index.php/ora/article/view/677. Acesso em: 1 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos