FATORES CONDICIONANTES DO VOLUME DE CONTRATOS FUTUROS DE SOJA NEGOCIADOS NA BOLSA DE MERCADORIAS & FUTUROS (BM & FBOVESPA)

  • Luiz Gonzaga de Castro Júnior Universidade Federal de Lavras
  • Rogério de Souza Guimarães Universidade Federal de Lavras
  • Thelma Sáfadi Universidade Federal de Lavras
Palavras-chave: Contratos futuros, soja, cointegração, VEC, causalidade de Granger

Resumo

O mercado futuro é um instrumento de proteção e administração de risco imprescindível, mas ainda pouco explorado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&FBOVESPA), no que diz respeito ao contrato futuro de soja. Isso é notado quando se visualiza o volumede negócios, que é uma essencial medida de liquidez do mercado. Assim, este trabalho teve como objetivos identificar e avaliar os fatores condicionantes do volume de contratos futuros de soja negociados na BM&FBOVESPA. A metodologia englobou uma análise feita no âmbito das séries temporais, com teste de causalidade de Granger, cointegração e modelo vetorial de correção de erro (VEC), em um período entre 2003 e 2009, com dados compreendendo observações semanais do volume de negócios, contratos em aberto e preço futuro da soja da BM&FBOVESPA e da Chicago Board of Trade (CBOT). Conclusões: as séries de preço e contratos em aberto, tanto da BM&FBOVESPA quanto da CBOT, são consideradas importantes condicionantes do volume de negócios da BM&FBOVESPA, vistoque seus valores defasados melhoram a previsão do volume, pois apresentam sincronia com o volume em curto e longo prazo e são fatores que causam esse volume, aferidos pelos testes de causalidade de Granger, VEC e decomposição da variância.

Biografia do Autor

Luiz Gonzaga de Castro Júnior, Universidade Federal de Lavras
Professor do Departamento de Administração e EconomiaUniversidade Federal de Lavras
Rogério de Souza Guimarães, Universidade Federal de Lavras
Mestre em AdministraçãoUniversidade Federal de Lavras
Thelma Sáfadi, Universidade Federal de Lavras
Professora do Departamento de Ciências Exatas de Estatística e Experimentação AgropecuáriaUniversidade Federal de Lavras
Publicado
05-09-2012
Seção
Artigos