ANÁLISE COMPARADA ENTRE O MERCADO DE CRÉDITO AGRÍCOLA NO BRASIL E NOS ESTADOS UNIDOS

Autores

  • Luciana Florêncio de Almeida Escola Superior de Propaganda e Marketing
  • Decio Zylbersztajn Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

Crédito agrícola, arranjos contratuais, estratégias, EUA

Resumo

Analisou-se, no presente estudo, de forma comparativa e qualitativa as estratégias para financiamento da produção agrícola no Brasil e nos Estados Unidos à luz de teorias que compõem o quadro teórico da Nova Economia Institucional combinado à literatura contemporânea sobre estratégias. Nos dois países, foi observada uma multiplicidade de arranjos híbridos caracterizados pela interdependência entre os agentes e as incertezas relativas à transação. O estudo evidenciou, ainda, as percepções dos agentes econômicos sobre o funcionamento dos contratos nesses mercados. No Brasil, a percepção de um sistema jurídico fraco para recuperação do crédito associado a sistemas de informação descentralizados, faz com que os agentes credores se previnam ex ante por meio da adoção de salvaguardas contratuais e do uso de mecanismos para a seleção dos tomadores de menor risco. Nos EUA, a funcionalidade dos sistemas judiciais e a existência de sistemas de informação centralizados a que todos os credores têm acesso acarretam em um mercado de crédito desenvolvido, em que os contratos são cumpridos e as estratégias dos credores focalizam aspectos mercadológicos ampliando a competição entre os agentes financiadores.

Biografia do Autor

Luciana Florêncio de Almeida, Escola Superior de Propaganda e Marketing

Professora Adjunta do Departamento de Administração da Escola Superior de Propaganda e Marketing.

Decio Zylbersztajn, Universidade de São Paulo

Professor Titular da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP.

Downloads

Publicado

2012-05-10

Como Citar

DE ALMEIDA, L. F.; ZYLBERSZTAJN, D. ANÁLISE COMPARADA ENTRE O MERCADO DE CRÉDITO AGRÍCOLA NO BRASIL E NOS ESTADOS UNIDOS. Organizações Rurais & Agroindustriais, [S. l.], v. 14, n. 1, 2012. Disponível em: http://revista.dae.ufla.br/index.php/ora/article/view/459. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos