ATITUDES DE COORDENAÇÃO DE PRODUTORES RURAIS NA CADEIA DA CARNE BOVINA: O CASO DO CITE 120

Guilherme Cunha Malafaia, Alessandra Costenaro Maciel, Maria Emilia Camargo

Resumo


As mudanças no cenário competitivo mundial têm dificultado a sobrevivência das empresas, obrigando as mesmas a estabelecerem relações cooperativas necessárias à sua manutenção e sobrevivência nos mercados. Entretanto, a falta de coordenação e de cooperação é considerada um problema clássico na cadeia da carne bovina. A partir de tais pressupostos, objetivou-se, no presente artigo identificar como a rede organizacional CITE 120, criada por um grupo de produtores de carne bovina, no estado do Rio Grande do Sul (RS), promoveu e organizou uma rede de interesses, visando uma melhor situação competitiva. Dentro da contextualização da formação e desenvolvimento dessa rede, também foram discutidos a evolução e os passos futuros da rede. Para tanto, realizaram-se entrevistas em profundidade com os seus integrantes. Os resultados apontaram para uma notável importância desse formato organizacional para os parceiros, principalmente no que tange à disseminação do conhecimento, a aprendizagem organizacional, as vantagens competitivas tanto na compra de insumos, equipamentos e máquinas, quanto na comercialização de carnes a preços mais competitivos. Esses fatores podem proporcionar a sustentabilidade do negócio a médio e longo prazo.

Palavras-chave


Redes; competitividade sistêmica; pecuária de corte

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

 

Organizações Rurais & Agroindustriais - Revista Eletrônica de Administração da UFLA

ISSN: 2238-6890 (edição on-line)


Universidade Federal de Lavras - UFLA - Departamento de Administração e Economia
Campus Universitário - Cx. Postal 37 - CEP 37200-000
Lavras - MG - Tel.: 35 3829 1441
Comentários e sugestões: revistadae@dae.ufla.br

Copyright 2011 - Todos os Direitos Reservados