AGRICULTURA FAMILIAR E SUAS ESTRATÉGIAS DE COMERCIALIZAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE CAPANEMA – REGIÃO SUDOESTE DO PARANÁ

  • Norma Kiyota
  • Marcos Affonso Ortiz Gomes
Palavras-chave: Agricultura familiar, estratégias, comercialização

Resumo

Por intermédio deste estudo tem-se como objetivo compreender as estratégias utilizadas pelos agricultores familiares para se inserirem no processo de comercialização visando a sua sobrevivência nesse setor, uma vez que o modelo de desenvolvimento é desfavorável para sua permanência na atividade. As políticas públicas para a agricultura, a ação das grandes agroindústrias, entre outros fatores têm favorecido a concentração de poder e renda, excluindo significativamente esses atores sociais do campo e, com isso, limitando as possibilidades do desenvolvimento local e regional. Além disso, o crescimento da produção de alguns produtos, faz com que os agricultores tenham que concorrer pelos consumidores e um segmento destes, apesar de manterem o critério do preço como relevante, aceitam pagar um pouco mais por um produto diferenciado e de qualidade. Trata-se de um estudo de caso com os agricultores do município de Capanema, região sudoeste do Paraná. Primeiramente, analisa-se as relações desses agricultores com os compradores e/ou consumidores de seus produtos, como a: cooperativa, agroindústria, empresa de produtos orgânicos, pequenos comércios locais, uma entidade própria dos agricultores, e diretamente com os consumidores, por meio das feiras e das vendas a domicílio. Posteriormente, são analisadas as estratégias das famílias de agricultores desde a escolha da atividade, a produção e agregação de valor até a relação final com o comprador. A análise destaca as especificidades dos agricultores familiares que determinam as estratégias de inserção no processo de comercialização, como a família e o trabalho, a minimização do risco, a reciprocidade, entre outras.
Publicado
18-04-2011
Seção
Artigos