UMA ESTIMATIVA DA DEMANDA INDUSTRIAL DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL: 1974-2002

  • Leonardo Bornacki de Mattos
Palavras-chave: demanda de energia elétrica, Co-Integração, Mecanismo de Correção de Erros

Resumo

Com este trabalho, objetivou-se quantificar as relações entre a demanda de energia elétrica e seus principais determinantes na classe Industrial do Brasil, no período de 1974 a 2002. Após identificar que as séries estudadas eram não-estacionárias, optou-se pela utilização do método de Co-Integração e Mecanismo de Correção de Erros (MCE). Os resultados encontrados foram condizentes com o esperado. A demanda industrial mostrou-se inelástica ao preço da energia, no curto e no longo prazo. Com relação à renda, a demanda industrial mostrou-se inelástica no curto prazo, mas elástica no longo prazo. O parâmetro estimado para um fator substituto à energia não foi estatisticamente significativo, indicando que não há um substituto próximo para a energia elétrica no setor Industrial. Este fato evidenciou a necessidade de um programa de reestruturação e expansão do Sistema Elétrico brasileiro, de forma sustentada, como condição para a manutenção e o crescimento da atividade industrial no País.
Como Citar
DE MATTOS, L. UMA ESTIMATIVA DA DEMANDA INDUSTRIAL DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL: 1974-2002. Organizações Rurais & Agroindustriais, v. 7, n. 2, 11.
Seção
Artigos