A TRANSIÇÃO NICHO-REGIME NO COMÉRCIO JUSTO, CONTRIBUIÇÕES DO MÉXICO

Autores

Palavras-chave:

Organizações de pequenos produtores, Comércio Justo, Produção orgânica

Resumo

O objetivo do artigo foi analisar a trajetória do nicho de comércio justo frente ao regime de produção e comercialização de alimentos. Para tanto, o trabalho foi realizado paralelamente em dois níveis, no nível macro com a análise do estado da arte do comércio justo como um nicho contra o regime agroalimentar e no nível micro foram aplicadas entrevistas abertas a gestores, jovens e mulheres em 10 organizações cafeeiras comércio justo empresas de comércio justo, que incluem pioneiros e recém-chegados. Foi identificada a situação atual e os principais elementos atuais do nicho que impedem maiores alterações no regime retomando a analogia das ondas no desenvolvimento do consumo de café. Da primeira para a terceira onda, o nicho alcançou uma adequada qualidade de aprendizagem e inclusão de atores que o fortaleceram; no entanto, na quarta onda, o nicho incorporou atores do regime como supermercados e empresas transnacionais para aumentar o volume de vendas, mas sem conseguir que esses atores gerassem um aprendizado de segunda ordem, nem compartilhavam as expectativas dos fundadores do nicho e com isso não se comprometeram a conseguir mudanças no regime.

Publicado

2021-05-17

Como Citar

JIMÉNEZ, T. C. G.; HERNÁNDEZ, O. B. H. A TRANSIÇÃO NICHO-REGIME NO COMÉRCIO JUSTO, CONTRIBUIÇÕES DO MÉXICO. Organizações Rurais & Agroindustriais, [S. l.], v. 22, n. 2, p. e1610, 2021. Disponível em: http://revista.dae.ufla.br/index.php/ora/article/view/1610. Acesso em: 28 jun. 2022.