AVALIAÇÃO DO PREÇO DA LARANJA, SOB O SISTEMA DE COMÉRCIO JUSTO DO MÉXICO

Autores

  • Celeste Gisele Hernández Vicencio Colegio de Postgraduados, Campus Montecillos https://orcid.org/0000-0002-1183-8533
  • Laura Elena Garza Bueno Colegio de Postgraduados, Campus Montecillos
  • Bartolomé Cruz Galindo Colegio de Postgraduados, Campus Montecillos
  • Juan Morales Jiménez Colegio de Postgraduados, Campus Puebla
  • José Miguel Omaña Silvestre Colegio de Postgraduados, Campus Montecillos

Palavras-chave:

Custos de produção, Produção orgânica, Produção convencional, Lucratividade

Resumo

A produção de laranja na região de Totonacapan, no estado de Veracruz, é uma das principais fontes econômicas da região e de todo o estado. No entanto, movimentos de queda de preços e intermediários têm levado os produtores a buscarem novas alternativas de inserção no mercado, como o comércio justo ou a produção orgânica. A necessidade de os produtores terem mais elementos de julgamento para tomar decisões sobre a melhor alternativa motivou este trabalho. Portanto, o objetivo do mesmo é avaliar o preço mínimo relativo pago pelo comércio justo em pomar em relação ao custo de produção das quatro organizações de laranja certificadas neste modelo. Adicionalmente, comparar os resultados alcançados com um grupo de produtores dedicados à produção orgânica. Em ambos os casos, a metodologia do Guia dos Custos de Produção Sustentável (COSP) da Fairtrade foi usada. O indicador mostra que as organizações de comércio justo são lucrativas, pois têm uma margem de lucro média entre 20% e 34% do custo de sua produção por hectare. A margem de lucro da organização de produtores de laranja orgânica é superior à do comércio justo com uma rentabilidade de 158%. No entanto, os produtores devem considerar outros fatores em termos de comercialização, organização e benefícios sociais antes de tomar decisões.

Publicado

2021-05-17

Como Citar

VICENCIO, C. G. H. .; BUENO, L. E. G.; GALINDO, B. C.; JIMÉNEZ, J. M.; SILVESTRE, J. M. O. AVALIAÇÃO DO PREÇO DA LARANJA, SOB O SISTEMA DE COMÉRCIO JUSTO DO MÉXICO. Organizações Rurais & Agroindustriais, [S. l.], v. 22, n. 2, p. e1589, 2021. Disponível em: http://revista.dae.ufla.br/index.php/ora/article/view/1589. Acesso em: 28 jun. 2022.