HÁ CONCENTRAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES AGROPECUÁRIAS BRASILEIRAS COM DESTINO CHINA?

  • Rogério Edivaldo Freitas Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA
  • Marcela de Mello Brandão Vinholis Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
Palavras-chave: Produtos Agropecuários, Comércio Externo, Gini, Quociente Locacional

Resumo

O estudo objetivou medir a atração das exportações agropecuárias brasileiras no mercado chinês, bem como identificar quais produtos foram especialmente demandados naquele mercado. Para tal, utilizou-se a categorização de produto agropecuário da Organização Mundial do Comércio e empregaram-se o Quociente Locacional (QL), o Coeficiente de Gini Locacional (CGL) e o Hirschman-Herfindahl modificado (HHm). A base de dados abrange o período 1989-2015. Identificou-se um crescimento do CGL sobre seu período base (1989), com trajetória crescente na década de 90 e atenuação deste processo entre 2001 e 2015. Em termos de grupos de produtos, observou-se que a China apresenta uma demanda líquida por sementes e oleaginosas, óleos animais ou vegetais, seda e matérias para entrançar, algodão, e peles e couros. Questões para aprofundamento são sugeridas, sobretudo para os produtos de interesse brasileiro e com potencial nas exportações agropecuárias e não necessariamente atraídos pelo mercado chinês.

Biografia do Autor

Marcela de Mello Brandão Vinholis, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
Embrapa Pecuária Sudeste
Publicado
26-11-2020
Como Citar
FREITAS, R.; VINHOLIS, M. HÁ CONCENTRAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES AGROPECUÁRIAS BRASILEIRAS COM DESTINO CHINA?. Organizações Rurais & Agroindustriais, v. 21, n. 1-3, p. 36-51, 26 nov. 2020.