CONSADS do Brasil: um estudo a partir do índice de desenvolvimento rural e da análise fatorial múltipla

  • Aline Claro Polastrini Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Matheus Wemerson Gomes Pereira Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: Desigualdade, Trajetória, Desenvolvimento Rural

Resumo

Neste trabalho, objetivou-se analisar a trajetória do desenvolvimento rural nos municípios pertencentes ao Consórcio de Segurança Alimentar e Desenvolvimento Local (CONSAD) do Brasil, nos anos 2000 e 2010, para isso, utilizaram-se dois métodos: o índice de desenvolvimento rural e análise fatorial múltipla, a fim de mensurar e comparar o desenvolvimento dos CONSADs, no intuito de analisar a evolução dessas localidades com a implementação do programa e sugerir políticas futuras e novos estudos em relação ao tema. O índice de desenvolvimento rural está relacionado com a população, bem-estar social, desenvolvimento econômico e meioambiente. Os resultados indicam que, de modo geral, o programa CONSAD foi benéfico para seus municípios, ou seja, houve um aumento no Índice de Desenvolvimento Rural em quase todos os CONSADs do Brasil, durante os anos 2000 e 2010; em relação aos subíndices a evolução foi diferente entre as regiões, o subíndice populacional teve evolução apenas na região Centro-Oeste; já o de desenvolvimento econômico evoluiu na região Sul e o de meio ambiente aumentou na região Norte. O único subíndice que evoluiu em todas as regiões foi o de bem-estar social, mostrando que a estratégia do CONSAD de formar capital humano foi benéfica para todos os CONSADs do Brasil.

Biografia do Autor

Aline Claro Polastrini, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Escola de Administração e Negócios
Matheus Wemerson Gomes Pereira, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Escola de Administração e Negócios
Publicado
27-11-2019
Como Citar
POLASTRINI, A.; PEREIRA, M. CONSADS do Brasil: um estudo a partir do índice de desenvolvimento rural e da análise fatorial múltipla. Organizações Rurais & Agroindustriais, v. 20, n. 2, 27 nov. 2019.