A TERCEIRA ONDA DO CAFÉ EM MINAS GERAIS

Autores

  • Elisa Reis Guimarães Doutoranda na Universidade Federal de Lavras
  • Luiz Gonzaga de Castro Júnior Prof. titular do Departamento de Administração e Economia da Universidade Federal de Lavras
  • Helga Cristina Carvalho de Andrade Universidade Federal de Lavras

Resumo

Considera-se que existam três movimentos, também denominados “ondas”, influenciando o mercado e o consumo mundiais de café.
Cada um apresenta um conjunto diversificado de prioridades e filosofias, contribuindo de formas diferentes para a experiência de
consumo da bebida. No Brasil, a Terceira Onda ganhou força nos últimos cinco anos, o que pode contribuir significativamente para
a melhoria de qualidade dos cafés consumidos no país. Objetivou-se compreender como a Terceira Onda do café se faz presente nas
estratégias de cafeterias no estado de Minas Gerais, por meio de entrevistas semiestruturadas em profundidade com proprietários
de três cafeterias mineiras, baseadas no conceito de Terceira Onda e localizadas em cidades de portes variados. Observou-se grande
adesão destas empresas aos princípios deste movimento, mas com adoção de duas posturas distintas, de purismo e transição.
Concluiu-se que tais posturas podem ser influenciadas por diversos fatores e contribuir de formas diferentes para o consumo de
cafés especiais no Brasil.

Biografia do Autor

Elisa Reis Guimarães, Doutoranda na Universidade Federal de Lavras

Doutoranda na Universidade Federal de Lavras e coordenadora do Bureau de Inteligência Competitiva do Café.

Downloads

Publicado

2016-12-21

Como Citar

GUIMARÃES, E. R.; DE CASTRO JÚNIOR, L. G.; DE ANDRADE, H. C. C. A TERCEIRA ONDA DO CAFÉ EM MINAS GERAIS. Organizações Rurais & Agroindustriais, [S. l.], v. 18, n. 3, 2016. Disponível em: http://revista.dae.ufla.br/index.php/ora/article/view/1108. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos