APURAÇÃO DE CUSTOS E RESULTADO ECONÔMICO NO MANEJO DA PRODUÇÃO LEITEIRA: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O SISTEMA TRADICIONAL E O SISTEMA FREESTALL

Autores

  • Antônio Zanin UFLA
  • Jacir Favretto
  • Angelica Possa
  • Sady Mazzioni
  • Vinicius Costa da Silva Zonatto

Resumo

Objetiva-se, neste estudo, comparar os custos e a produtividade na produção leiteira de dois métodos de produção: o sistema
tradicional e o sistema de confinamento, denominado freestall. A metodologia utilizada na pesquisa caracteriza-se como um estudo
de casos comparados, de natureza descritiva e abordagem qualitativa dos dados. O estudo dos casos ocorreu em duas propriedades
rurais que produzem leite, localizadas no Oeste de Santa Catarina, sendo uma no sistema de manejo tradicional (pastagem em
forma de piquetes) e outra no sistema de confinamento (freestall). A coleta dos dados ocorreu no mês de janeiro de 2014, com
o preenchimento de planilhas eletrônicas, contendo dados referentes ao imobilizado, fluxo de caixa, receita de vendas, custos de
produção e produtividade. A partir da análise dos dados, constatou-se que o sistema freestall proporciona uma margem de lucro
8,55% superior no litro do leite produzido, o que se deve principalmente pela maior produtividade de, aproximadamente, 78,8%
de litros, compensando a diferença de custos de 13,57%, maior que a incorrida na propriedade que utiliza o sistema tradicional
de produção. Conclui-se que o sistema de manejo freestall proporciona um melhor resultado econômico para a atividade leiteira,
considerando-se as estruturas de produção similares das propriedades analisadas nesta pesquisa.

Palavras-chave: Custos de produção, leite, confinamento.

Downloads

Publicado

2016-03-18

Como Citar

ZANIN, A.; FAVRETTO, J.; POSSA, A.; MAZZIONI, S.; ZONATTO, V. C. da S. APURAÇÃO DE CUSTOS E RESULTADO ECONÔMICO NO MANEJO DA PRODUÇÃO LEITEIRA: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O SISTEMA TRADICIONAL E O SISTEMA FREESTALL. Organizações Rurais & Agroindustriais, [S. l.], v. 17, n. 4, 2016. Disponível em: http://revista.dae.ufla.br/index.php/ora/article/view/1085. Acesso em: 5 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos