ESTRUTURAS DE MERCADO, GOVERNANÇA E PODER NA CADEIA PRODUTIVA DO LEITE NO RIO GRANDE DO SUL

Autores

  • Raquel Breitenbach UFLA
  • Renato Santos de Souza

Resumo

As mudanças estruturais que ocorreram na década de 2000 no mercado de leite no Rio Grande do Sul geraram distintas estruturas de
mercado de fatores na cadeia produtiva nas diferentes regiões do Estado. Em algumas regiões existe alta rivalidade entre empresas
para aquisição do leite do agricultor, enquanto em outras, coexistem situações de monopsônio, sem concorrência. Reconhecendo que
o ambiente institucional informal condiciona relações transacionais entre os agentes em diferentes cadeias do agronegócio, destaca-se
o poder que os atores podem exercer em diferentes situações de mercado, fator que interfere nos custos de transação. O objetivo do
presente estudo foi identificar, descrever e analisar as diferentes estruturas de mercado de matérias-primas na cadeia produtiva leiteira
do RS e a sua influência sobre a conduta dos agentes e sobre a governança da mesma. De modo especial, o objetivo do estudo se
concentrou em demonstrar como se estabelecem as relações de poder e suas influências nesses diferentes contextos. Para a realização
da presente pesquisa foram identificados e estudados quatro casos reveladores e representativos do RS: dois casos de monopsônio e
dois de oligopsônio concorrencial. Pesquisa documental, entrevistas com agricultores, representantes de empresas processadoras, bem
como informantes chaves, compuseram a metodologia da presente pesquisa qualitativa. Como resultados destaca-se que a estrutura
de governança é dependente do poder relativo dos agentes. A estrutura de mercado implica sobre a especificidade dos ativos, que
influi na interdependência dos agentes, que interfere no poder relativo dos mesmos, que, por fim, impacta na estrutura de governança.

Downloads

Publicado

2015-11-19

Como Citar

BREITENBACH, R.; SOUZA, R. S. de. ESTRUTURAS DE MERCADO, GOVERNANÇA E PODER NA CADEIA PRODUTIVA DO LEITE NO RIO GRANDE DO SUL. Organizações Rurais & Agroindustriais, [S. l.], v. 17, n. 3, 2015. Disponível em: http://revista.dae.ufla.br/index.php/ora/article/view/1027. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos